Em entrevista, Tiago explica as frequentes trocas na escalação do time e substituições
Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Tiago Nunes concedeu uma entrevista online logo após o jogo desta quarta-feira (02). O técnico comentou sobre as frequentes trocas na escalação do time e substituições, o jogo na Arena com o novo nome e sobre o julgamento de Jô.

Após dois jogos sem vencer (um empate e uma derrota), o técnico disse que a vitória neste jogo resgata a autoestima de todos.

Sobre o boato de uma greve entre os jogadores, que foi desmentida pela própria equipe, Tiago disse que não existe constrangimento em relação à falta de pagamento pois existe uma relação de muita transparência entre todos e que o grupo confia na direção. 

Tiago comentou sobre as cobranças que o time vem recebendo, pelo seu desempenho não estar dentro do que é esperado, dizendo que o Corinthians tem que jogar bem independente das circunstâncias e temporada, mas que a pandemia não pode ser desconsiderada. Para ele a cobrança é normal, tanto por parte da diretoria quanto do torcedor, que pede para que o time jogue bem sempre.

Sobre as mudanças na escalação e as frequentes substituições, Tiago disse que todas as equipes mudam as escalações, sendo algo normal e que por ainda estarmos passando por uma pandemia, após uma parada de 4 meses e os jogadores estarem jogando a cada 3 dias, há o cuidado de preservar os atletas, por isso as trocas são necessárias. Em relação às substituições, disse não ter a ver com o desempenho físico do jogador, mas sim para precaver os jogadores de alguma lesão. Tiago citou que todas as equipes estão sofrendo e estão em um nível parecido de preparo físico. O técnico voltou a falar que também é importante oportunizar todos os jogadores para a gestão do elenco, de deixar todos motivados e para valorizar os atletas do clube. 

Em relação ao próximo jogo ser realizado na Arena que recebeu um novo nome, Tiago disse que todo jogo para o Corinthians é especial, que estar nessa equipe é uma oportunidade para poucos, mas que apesar do batismo da Arena ser um momento especial para o clube, os jogadores irão focar no trabalho dentro de campo, evitando uma pressão ainda maior para a equipe.

Sobre o julgamento de Jô, que teria agredido um jogador dentro de campo, o treinador disse que o atacante é um atleta que não tem problemas por brigas e discussões dentro do campo, e que é preciso ter cautela e analisar corretamente a situação. Ele espera que isso se resolva o mais rápido possível pois Jô é importante para a equipe.

O jogo na Neo Química Arena, o primeiro com o novo nome, será neste sábado (05), contra o Botafogo, às 19h.