Raphael Ponce
Corinthians se consagrava o primeiro campeão mundial há 21 anos
Corinthians / Divulgação

Dia 14 de janeiro de 2000, no estádio do Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, o Corinthians se tornava campeão do mundo pela primeira vez, superando o Vasco nos pênaltis por 4 a 3. O torneio também contava com Manchester United e Real Madrid, além de outros times. Contestado pelos rivais e glorificado pela Fiel Torcida, o Mundial foi o primeiro torneio organizado e validado pela FIFA, com um formato único que tornou o campeonato ainda mais difícil.

Definição dos participantes

A competição foi a primeira a reunir equipes dos seis continentes do mundo e seus participantes foram definidos no primeiro semestre de 1999. Como isso ocorreu um pouco depois do encerramento da Champions League de 98/99, que teve como ganhador o Manchester United, e como a Libertadores ainda não havia sido definida e havia pressa por parte da FIFA, a vaga da competição sul-americana ficou com o Vasco da Gama, campeão da Libertadores de 1998. O Corinthians foi para a competição como o campeão do país sede, critério que é utilizado até hoje. O Real Madrid foi como o campeão Intercontinental de 1998.

Os participantes do torneio foram:

Corinthians – Campeão do país sede de 1998

Vasco – Campeão da Libertadores de 1998

Real Madrid – Campeão do Intercontinental de 1998

Manchester United – Campeão da Liga dos Campeões da UEFA de 98/99

Necaxa – Campeão da Liga dos Campeões da CONCACAF de 1999

Raja Casablanca – Campeão da Liga dos Campeões da CAF de 1999

Al-Nassr – Campeão da Supercopa da Ásia de 1998

South Melbourne – Campeão da Liga dos Campeões da OFC

Publicidade - Continua abaixo

Alguns dos Adversários

Finalista, o Vasco contava com nomes impactantes como Hélton, Mauro Galvão, Juninho, Felipe, Edmundo e Romário. Grande parte deste time também foi campeão da Taça João Avelange, conquistada em cima do São Caetano.

O Real Madrid também tinha o elenco recheado de estrelas. Nomes como Roberto Carlos, Fernando Heirro, Anelka, Casillas, Fernando Redondo e o jovem Samuel Eto’o compunham a equipe. O capitão Fernando Hierro, em publicação do Jornal Estado de São Paulo, declarou que seria uma honra ganhar esse título, pois era um torneio maior que o Intercontinental, conquistado pelo clube em 1998.

O Manchester United, que acabava de ser campeão do Intercontinental de 1999 em cima do Palmeiras, largou a tradicional Copa da Inglaterra para a disputa do torneio. Esta decisão também deveu-se às pressões do Governo Inglês, pois a Inglaterra era candidata a sede da Copa do Mundo em 2006. O clube inglês, que havia sido campeão da Premier League com 18 pontos à frente do vice-campeão Arsenal, tinha nomes como Philipp Neville, Gary Neville, Ryan Giggs, Roy Keane, Gary Neville e David Beckham, além do lendário técnico Alex Fergson.

Mundial de 2001 e a não realização

Curiosamente em 2001 haveria a competição novamente, pois a FIFA acabou gostando da repercussão da competição, onde participariam times como Palmeiras, Boca Juniors, Real Madrid, Deportivo La Coruña e Galatasaray. Porém o torneio não aconteceu devido à falência da ISL (International Sport and Leisure), empresa de marketing que cuidava dos direitos de transmissão da FIFA e do COI (Comitê Olímpico Internacional).

Jogos

Primeira partida da fase de grupos - Corinthians 2 x 0 Raja Casablanca (Marrocos) - 05/01/2000


Corinthians / Divulgação

O Timão estreou no estádio do Morumbi contra os marroquinos. No primeiro tempo a equipe foi superior ao adversário mas perdeu diversas oportunidades. Já no segundo tempo, logo aos 4 minutos, Luizão abriu o placar pro alvinegro e em seguida, aos 20 minutos, o estreante Fábio Luciano fez o segundo de cabeça.

Estádio: Morumbi

CORINTHIANS: Dida, Índio, João Carlos, Fábio Luciano e Kléber; Rincón, Vampeta (Edu), Ricardinho e Marcelinho (Marcos Senna); Edílson e Luizão (Dinei). Téc: Osvaldo de Oliveira.

RAJA CASABLANCA: Chadili, Misbah, Talar, Irindou e Nejary; Reda, Safri, El Haimeur e Aboub; Khoubbache (Achami) e Moustaodia. Téc: Fathi Jamal. 

Gols: Luizão (4 minutos do 2º tempo) e Fábio Luciano (20 minutos do 2º tempo)

Publicidade - Continua abaixo

Segunda partida da fase de grupos - Corinthians 2 x 2 Real Madrid (Espanha) - 07/01/2000

Os brasileiros e os espanhóis fizeram certamente um jogo eletrizante. A polêmica ficou por conta de um dos dirigentes do clube espanhol, que desdenhou de Edilson afirmando que era um jogador qualquer. O brasileiro não apenas respondeu fora de campo com um “azar dele”, mas também dentro de campo, sendo um dos destaques da partida ao lado de Anelka. 

O primeiro tempo foi movimentado e começou com o clube madrileno abrindo o placar aos 19 minutos, com Anelka. Aos 28 minutos, justamente o “Capetinha” deixou a partida empatada para o segundo tempo.


Corinthians / Divulgação

No segundo tempo houveram diversos lances impactantes, a começar pelo “desconhecido” Edilson colocando a bola embaixo das pernas de Karembeu e marcando um golaço aos 19 minutos. Os merengues chegaram ao empate com o francês Anelka outra vez, aos 25 minutos. O atacante francês, porém, desperdiçou um pênalti aos 36 minutos, defendido por Dida, deixando o Corinthians sonhando com a vaga na final.

 Estádio: Morumbi

CORINTHIANS: Dida, Índio, João Carlos, Fábio Luciano e Kléber; Rincón, Vampeta (Edu), Ricardinho (Marcos Senna) e Marcelinho; Edílson e Luizão (Dinei). Téc.: Oswaldo de Oliveira

REAL MADRID: Casilas, Salgado, Hierro, Karembeu e Roberto Carlos; Redondo, Guti (Morientes), Geremi (McManaman) e Raúl; Anelka e Sávio. Téc.: Vicente Del Bosque

Gols: Anelka (19 minutos do 1º tempo), Edílson (28 minutos do 1º tempo), Edílson (19 minutos do 2º tempo) e Anelka (25 minutos do 2º)

Publicidade - Continua abaixo

Terceira partida da fase de grupos - Corinthians 2 x 0 Al-Nassr (Arábia Saudita) – 10/01/2000


Corinthians / Divulgação

Na partida preliminar, o Real Madrid havia vencido o Raja Casablanca por 3 a 2, o que obrigava o clube do Parque São Jorge a vencer por um placar de 2 gols de diferença. E foi justamente o que aconteceu.

No primeiro tempo, aos 24 minutos de jogo, Ricardinho abriu o placar, fazendo com que o Timão precisasse de apenas mais um gol para se classificar para a final do torneio.

No segundo tempo o Corinthians teve oportunidades claras de gols, mas não aproveitou. Com o nervosismo do time os árabes quase empataram o jogo, obrigando o goleiro Dida a realizar boas defesas. Mas aos 36 minutos Rincón fez o gol que garantiu a passagem para a final e deu números finais à partida.

Estádio: Morumbi

Dida; Daniel, Fábio Luciano, João Carlos (Adilson), Kléber; Rincón, Vampeta (Dinei), Marcelinho Carioca, Ricardinho (Edu); Edílson e Luizão. Téc: Oswaldo de Oliveira.

Khojalli, Al Shokia, Sharify, Harthi e Al Mousa; Al Husseini (Al Janoub), Al Karni, Amim e Saib (Mehalel); Al Jamam ( Triki ) e Bhja. Téc: Milan Zivadinovic.

Gols: Ricardinho (24 do 1º Tempo) e Rincón (36 do 2º tempo)

Publicidade - Continua abaixo

Final – Corinthians 0(4) x 0(3) Vasco – 14/01/2000

O Corinthians ia tentar fazer história no estádio do Maracanã. Mais de 20 mil torcedores corinthianos foram ao Rio de Janeiro empurrar o time na missão de vencer o ótimo Vasco da Gama e se consagrar o primeiro campeão mundial da FIFA. 

Aos 13 minutos do primeiro tempo, o Timão levou perigo, após cruzamento na área de Edilson para Luizão. A equipe cruzmaltina revidou aos 20 minutos, quando Edmundo chutou da entrada da área. Aos 37 minutos Ricardinho acionou Marcelinho, mas Helton fez a defesa.


Getty / Divulgação

Ricardinho, cansado, teve que sair de campo (o Timão ainda não havia descansado da temporada de 1999), e Edu Gaspar entrou em seu lugar. 

O segundo tempo começou bem agitado, com Edilson, aos 5 minutos, chutando uma bola que passou raspando a trave. O clube carioca respondeu com Felipe, que lançou a bola na área e, após Fábio Luciano tirar, Gilberto chutou pra fora. Em cobrança de escanteio, Marcelinho tentou e Luizão não conseguiu aproveitar. Aos 35 minutos Rincón fez tabela com Edu Gaspar, mas chutou por cima do gol.

O jogo acabou indo para a prorrogação com o “Golden Goal”, onde quem marcasse primeiro seria vencedor. O Corinthians voltou com Gilmar Fubá no lugar de Vampeta. O clube de São Januário também trocou peças, Felipe, Ramon e Juninho Pernambucano saíram para a entrada de Alex Oliveira, Donizete Pantera e Viola. Alex Oliveira foi o que teve a melhor oportunidade pra marcar após bela cobrança de falta, mas o goleiro Dida defendeu. O jogo acabou indo para as penalidades.

Rincón, Fernando Baiano, Luizão e Edu Gaspar converteram para o Corinthians. Pelo lado vascaíno, Romário, Alex Oliveira e Viola converteram, mas Gilberto desperdiçou. Marcelinho poderia encerrar a competição, porém perdeu a oportunidade. Restou secar Edmundo contra Dida, que mandou a bola longe da meta, fazendo do Corinthians o primeiro campeão Mundial Interclubes da FIFA.


Reprodução

Estádio: Maracanã

CORINTHIANS: Dida; Índio, Adilson, Fabio Luciano e Kleber; Vampeta (Gilmar), Freddy Rincón, Ricardinho (Edu Gaspar) e Marcelinho Carioca; Edilson (Fernando Baiano) e Luizão Téc: Oswaldo de Oliveira. 

VASCO DA GAMA: Helton; Paulo Miranda, Odvan, Mauro Galvão e Gilberto; Amaral, Felipe (Alex Oliveira), Ramon (Donizete) e Juninho (Viola); Romário e Edmundo. Téc: Antônio Lopes.

Pênaltis: Corinthians – Freddy Rincón, Fernando Baiano, Luizão e Edu; Marcelinho Carioca desperdiçou. Vasco – Romário, Alex Oliveira e Viola; Gilberto e Edmundo desperdiçaram.