Comunidade Armênia do Brasil se manifesta após declaração de Andrés Sanchez
Rodrigo Coca / Agência Corinthians

A Comunidade Armênia do Brasil, em carta enviada a Andrés Sanchez nesta quarta-feira (29), disse que se sentiu indignada com o fato de Andrés ter chamado de “turco” um brasileiro descendente de armênios. 

No último sábado (25), o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, em uma entrevista coletiva usou o termo “turco” para se referir ao ex-diretor Sergio Janikian, que é de descendência armênia. 

"Sabe qual o problema, Fernandinho? Tem gente falando que o corinthiano, o quinto andar, o Parque São Jorge precisava de professor de português. O duro é que é um turco indicando professor de português (...) vamos procurar ter capacidade para melhorar nosso português. Não precisamos de um turco indicar não", declarou Andrés Sanchez.

O problema não se deu simplesmente por Andrés ter confundido a descendência do ex-diretor, mas devido ao fato de que há um grave conflito entre a Turquia e a Armênia há décadas. Em abril de 1915 o Império Turco Otomano causou um genocídio contra o povo armênio, em que cerca de 1,5 milhão de pessoas foram perseguidas e massacradas. E, agravando ainda mais a situação do presidente, nesta semana o povo armênio foi mais uma vez atacado pelo governo do Azerbaijão com o apoio do governo turco.

“A história de sofrimento de nosso povo impingida pelo Império Turco Otomano não pode ser arranhada ou desprezada com colocações dessa natureza”, diz a carta à Andrés.

Nesta quinta-feira (30), Andrés Sanchez assumiu o erro e pediu desculpas em carta de resposta à Comunidade Armênia: “Escrevo não para me justificar e sim para pedir desculpas. Saber que feri os sentimentos nacionais de um povo tão sofrido me enche de tristeza. Não há justificativa, meu linguajar solto teve o condão de ferir um povo altivo, mas machucado, algo que viola os mais básicos ensinamentos recebidos de meus pais”.

Fonte: Meu Timão