Biografia

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Biografia do Fágner

Corinthians

Natural de São Paulo, e no Corinthians desde os 9 anos, Fagner fez sua estreia aos 17 anos e ajudou o clube a golear o Fortaleza por 4 a 0, na casa do adversário. Era tido como uma grande revelação do Timão, mas não rendeu o esperado e foi vendido ao PSV.


PSV e Vitória

No início de 2007, após a disputa do Sul-americano Sub-20 pela Seleção Brasileira, Fagner acertou a sua transferência para o PSV, mas antes disso, foi emprestado pelo clube holandês ao Vitória, por 6 meses, até completar 18 anos.[1]


Ao completar 18 anos, em 11 de junho de 2007 transferiu-se para o PSV Eindhoven, no qual ganhou o título da Eredivisie de 2007–08, porém, depois de 1 ano e 6 meses, sem ter um rendimento esperado, rescindiu o seu contrato para assinar com o Vasco da Gama.[2]


Vasco da Gama

Em 26 de dezembro de 2008, foi para o Vasco da Gama, para o ano de 2009.[3] Ficou o ano todo como reserva de Paulo Sérgio, cogitando até sair do clube depois da Série B, mas permaneceu na equipe carioca e ao fim do ano, foi campeão da Série B.


Em 2010, conseguiu se firmar como titular da equipe depois da saída de Paulo Sérgio para a Portuguesa, tornando-se um dos destaques mesmo com o irregular Campeonato Brasileiro da equipe carioca.


No ano de 2011 teve o melhor momento da carreira formando uma dupla com Éder Luis pela direita que ajudou muito a equipe cruz-maltina. O Vasco foi campeão da Copa do Brasil de 2011 e terminou o Brasileirão na segunda colocação. Ao final do ano, conquistou o Prêmio Craque do Brasileirão como o melhor lateral-direito da competição. Em 2012 a boa fase continuou e ajudou o Vasco a chegar em duas finais de turno do Campeonato Carioca, mas o clube perdeu as duas. Ajudou também na Libertadores da América onde o clube chegou as quartas-de-final, sendo eliminado pelo Corinthians por 1 a 0.


Wolfsburg

Em 24 de julho de 2012, Fagner foi vendido ao Wolfsburg, da Alemanha, assinando contrato até 2016.[4] Estreou no dia 26 de julho de 2012, em um amistoso contra o Bayern de Munique, jogo no qual cometeu pênalti e viu seu time perder por 2 a 1. Porém sua estreia não foi reflexo do seu início no clube. Aperfeiçoando-se ainda mais em desarmes, Fagner começou muito bem, porém, com a decaída de nível da equipe que já não era das melhores, Fagner começa a perder o alto nível, e chega a ser banco em diversos jogos. Sem espaço e com a intenção de brilhar novamente, Fagner resolver deixar o Wolfsburg e retornar ao Brasil novamente.[5]


Retorno ao Vasco da Gama

No dia 18 de julho de 2013, o Vasco da Gama anunciou Fagner por empréstimo até o fim da temporada, com opção de estender o vínculo ou comprá-lo, pegando todos de surpresa visto que a notícia só vazou na imprensa quando o acordo foi fechado. Com diversas propostas de outros times brasileiros, Fagner opta por atuar no clube pelo qual se consagrou e que prega enorme carinho e respeito. Tendo sido eleito o melhor lateral-direito do país pelo clube, sua estreia foi aguardada ansiosamente pelos torcedores. O jogador recebeu a camisa de número 23; camisa usada em toda sua primeira passagem pelo Vasco. Com as irregulares partidas de Nei, Fagner logo virou titular da equipe, mas, após queda de rendimento, o técnico Dorival Júnior o colocou no banco de reservas. Com a saída de Dorival e a chegada de Adílson Batista, Fagner voltou a ter chances entre os titulares. Após amargar outro rebaixamento com o clube, não renovou seu contrato de empréstimo e assim, terminou sua segunda passagem pelo clube cruzmaltino no fim de 2013, retornando então ao Wolfsburg.


Volta ao Corinthians

O Corinthians propôs um acordo de empréstimo, aceito pelo Wolfsburg, e assim o lateral retornou ao clube de origem. O empréstimo é sem custos e por uma temporada, e se o jogador agradar, poderá ser comprado ao final da mesma. [6] Depois de ter se destacado na reta final do Brasileirão de 2006, o que o levaria, também, a ser convocado para o Sul-Americano sub-20 do ano seguinte, Fagner deixou o Corinthians e acertou sua ida, à época, para o PSV Eindhoven, da Holanda, Fagner demonstrou certo arrependimento por ter deixado o alvinegro e, portanto, se mostrou feliz pelo retorno. Segundo o próprio: "A gente sabe que o futebol é muito dinâmico. É fácil falar que gostaria de ter estado aqui só nos momentos bons. Eu me arrependi muito, principalmente em 2008, quando voltei do PSV e fiquei três meses parado. Mas, como falei, as coisas são dinâmicas e Deus colocou as pessoas certas na minha vida."[7]


Marcou seu primeiro gol com a camisa do Corinthians contra o rival São Paulo, em um jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 2014, encerrando um jejum de 2 anos sem marcar gols. No início de 2015, o Corinthians adquiriu 50% dos direitos econômicos do jogador.[8]


Em 18 de janeiro de 2017, em seu primeiro jogo no ano, levou o clube a final do torneio da Florida Cup de 2017, após a goleada de 4 a 1 sobre o Vasco da Gama na semi-final. No dia 21 de janeiro jogou a final contra o arquirrival São Paulo. O Corinthians perdeu por 4-3 nas penalidades máximas, após o empate de 0-0 no tempo real, perdendo o título do torneio e levando a vice-liderança. Em 01 de fevereiro, o Corinthians realizou um amistoso preparatório contra a Ferroviária para o Campeonato Paulista, Fagner jogou o primeiro tempo e foi substituído no segundo tempo pelo lateral Léo Príncipe, para realizações de testes do técnico Fábio Carille. O Corinthians venceu o jogo com gol de Marquinhos Gabriel, aos 49 minutos do segundo tempo.


Seleção Brasileira

Em abril de 2016, Fagner foi pré-convocado, junto com outros 39 atletas, pelo técnico Dunga, para a Copa América de 2016, a ser disputada nos EUA.[9] Foi convocado por Tite para a sua 1° lista, em 22 de agosto de 2016, para as partidas contra Equador e Colômbia pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2018.[10] Se manteve com Tite durante boa parte das Eliminatórias, e, após conquistar o Campeonato Brasileiro de 2017 pelo Corinthians, e atuando bem na lateral-direita, ganhou a confiança do técnico Tite e foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 2018, no dia 14 de maio de 2018.[11] Fagner foi titular em 4 das 5 partidas da Seleção Brasileira.


Em 17 de maio de 2019, foi convocado para a Copa América de 2019, onde na reserva de Daniel Alves, sagrou-se campeão do torneio.[12][13]

https://pt.wikipedia.org/wiki/Fagner_(futebolista)